Eu empresária

Alguns (nem tão) pequenos detalhes que você precisa saber ao empreender.
(Por Mariana Morena)
Largar a segurança de um emprego de carteira assinada para montar seu próprio negócio pode ser uma aventura que poucas estão dispostas a embarcar. Umas constroem sua própria empresa por um ideal, um sonho, outras por necessidade. Não importa o motivo, todas enfrentam quase os mesmos desafios… Então deixa eu te contar o que venho aprendendo desde 2012, quando saí da empresa da família para montar minha primeira empresa de Coaching?
A partir de hoje, durante 4 semanas eu vou lhe trazer alguns dos meus aprendizados ao longo do caminho, e espero que isso possa servir para iluminar seu caminho, seja você uma nova empreendedora ou alguém que ainda está avaliando a ideia.
SEMANA 1: Montar uma sociedade pode parecer mais seguro, mas não necessariamente é o que você precisa.
Foi o caminho que escolhi na época, e vejo muitas seguindo nesta mesma direção por medo de se lançarem sozinhas no mercado…
Em 2012, quando estava pensando em montar meu negócio, conversei com dois amigos que gostaram da ideia e nos unimos para montar a Alliança Coaching. Pra mim, parecia um bom caminho a se seguir, afinal, iríamos unir forças, e eu não entraria sozinha nesse oceano desconhecido… ufa! Víamos que tínhamos qualidades complementares, o que nos trazia mais segurança, conseguimos alinhar a visão para a empresa, valores, e sabíamos respeitar as opiniões e “manias” uns dos outros. No entanto, “erramos” em um detalhe: a empresa não era o foco de todos no momento, e isso a enfraqueceu.
Felizmente, todos os 3 fomos bastante maduros para encarar a realidade, e deixamos a ideia de lado, cada um seguindo seu projeto de vida individualmente, mantendo a amizade. Na verdade, sou bastante grata a tudo que aconteceu, porque foi assim que a Mariana Morena Coaching para Mulheres surgiu: após o nosso acordo de dissolução no meio de 2013.
O que venho lhe falar hoje sobre sociedade é o que aprendi com a Alliança, mas também com a Orion (empresa da família) e com as empresas de minhas coachees que venho acompanhando; onde estas empresas acertaram, onde erraram… eu trago esses ensinamentos pra você em 7 dicas.
Não há nada de errado em ter sócios no seu negócio, na verdade isso pode ser bastante vantajoso, até, mas você precisa ter certeza de que vocês estão se juntando pelos motivos certos e de que todos estão realmente alinhados com o propósito da empresa, e não com o do próprio umbigo. Tenho visto gente montando sociedade só porque precisa do dinheiro ou porque é amigo do amigo. Apaixonados pela ideia de empreender, ficam cegos aos “defeitos” uns dos outros, deixando para lavar a roupa suja depois, quando o sucesso chegar. E sinto muito lhe informar, quando esse “depois” chegar, pode ser tarde demais, viu?!
Infelizmente, já vi empresa que não estava dando lucro com 4 sócios enfiar mais 1 só pra suprir o fluxo de caixa e depois ter mais alguém para dividir a mísera fatia do bolo; mas também já vi gente não se lançando no mercado porque não conseguiu 1 sócio sequer. É preciso sensatez, minha gente!
Posso te dar algumas dicas sobre sociedade, então?
1º) Encontre sócios que lhe complementem. Vocês não precisam ser exatamente iguais, ter as mesmas qualidades e pensamentos. O que vai enriquecer a empresa é justamente o contrário: um tem o perfil de comunicador, o outro de planejador, e esses, juntos, podem fazer grandes coisas, que sozinhos teriam certa dificuldade;
2º) Você não PRECISA de sócios, isso é apenas uma escolha! Analise os prós e contras, e pense bem em quem você quer chamar para estar ao seu lado neste momento. É clichê, mas a sociedade é como um casamento. Quem merece o seu “SIM”?!
3º) Amigos podem ser sócios, sim, mas a amizade não garante o sucesso do negócio ou da parceria. Se um de vocês não souber como lidar com os papeis, pode perder uma empresa & uma amizade. Esse(a) amigo(a) sabe fazer o que precisa ser feito? Tem o perfil adequado para essa sociedade? Vai saber lidar com as divergências? Faça-se mil perguntas antes de chamar alguém por impulso, só porque vocês se dão bem.
4º) Irmãos podem ser sócios, sim, mas precisam saber lidar com as diferenças, ausentando-se do papel familiar enquanto empresários. Evite intrigas de irmão mais velho com mais novo, de um querer mandar no outro, ou sei lá como é a dinâmica familiar por aí, e separem vida pessoal da vida profissional. Vocês tem a vantagem de serem irmãos, o que os força a se darem bem, mas isso não garante a paz nem o din-din. Digo mesmo para marido e mulher, hein?!
5º) Tenha cautela ao “lavar a roupa suja”, mas ela PRECISA ser lavada! Transparência é a ordem número 1 em uma sociedade, ou então a coisa fica preta!
6º) Ao invés de criticar o sócio porque ele tem um jeito diferente, busque descobrir como isso pode ser bom para o negócio de vocês. Veja uma vantagem competitiva, uma intenção positiva, busque o que há de melhor no outro, sempre, para garantir a saúde da relação. Assim como o casamento, a sociedade é uma escolha que tomamos todos os dias.
7º) Tenha tudo bem claro desde o início, com as regras bem definidas e com as atribuições de cada um bem determinadas, evitando intrigas por um “tomar o lugar” do outro, ou não suprir a expectativa da sociedade. Os maiores erros nos relacionamentos estão embasados na falta ou na falha da comunicação. Portanto, proteja-se dos atritos esclarecendo tudo tintim por tintim. Pode parecer formal demais, chato demais, mas é necessário. Paciência!
E aí? Pensou melhor sobre a sociedade? Você tem sócios e gostaria de compartilhar mais alguma dica aqui? Manda pra mim, que semana que vem eu volto com a sua dica e vou falar sobre nosso segundo tema da série EU EMPRESÁRIA: a cobrança sobre você e seus resultados.
Abraço coaching,
MM.

Comentários