Eu confesso! Eu confesso!

Oi meninas. Tudo bem?

Preciso revelar algo a vocês, mas esse meu segredo pode assustar…

Terça-feira eu passei por mais uma experiência que reforça uma das minhas teorias. Venho prestando atenção nisso faz tempo, observando a minha própria reação, bem como a de outras mulheres que convivo.

Depois de alguns meses, fui receber uma massagem relaxante que havia ganho da queridíssima Cynthia Picolli (por sinal, vale a pena conhecer!) aqui no centro de Florianópolis.

Chegando lá, como Coach que sou, é claro, percebi que ela estava preocupada com algumas coisas, e lhe perguntei o que lhe incomodava, realmente atenta para ver se poderia fazer algo para lhe ajudar, enquanto ela começava. O fato é que tenho dificuldade em receber (ai, não me julguem!), e não consegui relaxar por uns 40 minutos, mais ou menos, preocupada com ela, me sentindo culpada por não estar lhe ajudando, e, pelo contrário, sentindo que estava lhe dando trabalho. Meu Deus! Tem cabimento, isso? Ela já havia dito que se sentia bem ao fazer a massagem, mas eu, na minha cabecinha doida, tinha que ajuda-la de qualquer forma.

Ai que vergonha de admitir, mas eu percebo que muitas de nós, mulheres, enfrentamos essa dificuldade. Talvez por termos o instinto maternal, cuidador, geneticamente programado em nosso DNA. Só pode ser! Ou então, o “gene da culpa”. Vocês não tem esse gene, né?

Eu costumo dizer que nós mulheres não nos sentimos dignas de receber (a não ser os mimos do namorado/marido). Por favor, me entendam: estou falando genericamente. Em meus cursos, tanto os que ministro como os que vou como aluna/coachee, converso com as mulheres sobre isso e a grande maioria revela essa dificuldade. Principalmente as pessoas que trabalham com doação para o outro, como psicólogas, coaches, terapeutas e outras profissões nesta categoria.

Na verdade, meninas, nossa luz pode ser nossa maior sombra. Onde dedicamos nossos esforços podem estar nossas maiores fraquezas, sabiam? Em julho farei um CineCoaching sobre esse assunto, e vocês estão convidadíssimas a participar. Quem tiver interesse, por favor, entre em contato no saibamais@marianamorena.com.br ou na minha página aqui no face, mesmo.

Lindíssimas, por favor, vamos prestar atenção nisso e aprender a receber? Seja um elogio que uma amiga fez, um presentinho de uma cliente ou a massagem que você desejou por muito tempo. Eu tenho trabalhado isso em mim, e, como vocês viram, ainda preciso trabalhar nisso quase todos os dias. É muito provável que muitas de vocês também enfrentem o mesmo desafio que eu. Ufa! Não estamos sozinhas! 😉

Elogiem-se hoje na frente do espelho e recebam de vocês mesmas esse amor. Beijos com carinho.

Mariana Morena

 

Comentários

1 Comment
  • Flávia on 27/01/2016

    Olá que lindo seu depoimento.
    Bem estou me formando em PERSONAL COACHING e gostaria mais da sua ajuda em relação ao meu primeiro contato. como é depois que nos formamos? o que fazer?